quinta-feira, 26 de julho de 2007

Notas para não esquecer


fotografia de Quark

Rever os modos de me aproximar à morte
deixar-me mais tempo nos teus braços
ser a ferida que se oferece ao teu corpo
congelar-me nos teus olhos e esperar que ardas.

11 comentários:

JRL disse...

Espero que a primeira nota arda com os olhos.
Bj

Entre linhas... disse...

Agarrar o corpo,senti-lo e desnudá-lo com o olhar.
Num abraço infinito.
Bjs Zita

CMondim disse...

a ferida pressupõe uma cura, q poderá residir no abraço de uma pessoa querida.

Carlos Ramos disse...

J.
A morte é inevitável e por isso é importante morrer bem. Uma má morte é o pior que nos pode suceder. Bj.

Ad astra disse...

acrescenta mais esta...ter consciencia, que estas palavras tocam sempre a alma de alguem

Um beijo Carlos

Carlos Ramos disse...

Astra

É uma responsabilidade agridoce, como a vida, espero não te desiludir. Obrigado também; Joana, entrelinhas e Carla M.

Constança disse...

Parece-me que não é preciso anotar... São coisas de que não nos esquecemos... :)

GarçaReal disse...

Congelar-me nos teus olhos e esperar que ardas.

Muito belo

bjgrande

Pereira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Pereira disse...

Amigo, parabéns pelo teu blog! Só me resta recomendar-te uma passagem por Viseu para ganhares ainda mais inspiração nos belos vinhos do Dão! Grande abraço! Rui Pereira

Carlos Ramos disse...

Muito prazer reencontrar-te aqui Rui. Já tenho saudades de partilharmos aqueles belos tintos aí da tua terra. Por exemplo um "Vinha Paz" naquele restaurantezinho na rotunda perto do Palácio do Gelo e depois terminarmos no Irish. È melhor não dizer mais que já me apetece pegar no carro e zarpar. Qualquer dia acertamos contas.
Abraço bem apertado