terça-feira, 10 de julho de 2007

Raíz

Vou pela estrada recortada a castanheiros
a estrada molhada por este dia cinza interior
vou com o estrondo das ondas do mar dentro de mim
vou até onde termina o caminho
até onde não existe mais luz esperarei
para te pertencer
Raíz.

4 comentários:

Ricardo Pimentel disse...

Olá Companheiro de carteira!

Um abraço para Ti… desde aquele tempo até ao de agora… há abraços que nunca se desapertam… por maior que seja a distância…

Ricardo

Carlos Ramos disse...

Olá Ricardo

Passou este tempo todo, mas realmente não passou o essencial.
Fortissimo abraço parceiro
BEM-VINDO.
Diz-me quando vens a Peniche.

Ad astra disse...

Esperar sempre, ae que o tempo desista de se fazer esperar

Ad astra disse...

Esperar sempre, ae que o tempo desista de se fazer esperar