segunda-feira, 6 de agosto de 2007

B.I.


Dinis Albano Carneiro Gonçalves

Deixaste que o silêncio
invadisse esse bilhete de identidade
até apagar da fotografia todos os teus sonhos
abriste o coração a todos os desastres
consegues agora ver o lugar certo do teu caber…

7 comentários:

Ad astra disse...

Lindo!

Um beijo

Dizeres de Andarilho disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Carlos Ramos disse...

Obrigado Astra. Gostaria também de pedir desculpa ao "Dizeres de Andarilho", porque inadvertidamente apaguei o seu comentário que dava conta do seu conhecimento do Dinis.
Aqui fica a correcção e um abraço para ele.

Tchivinguiro: onde nasci. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Tchivinguiro: onde nasci. disse...

Muitas foram as vezes que por ele me cruzei.
Na rua decidiu viver e morreu da forma que jamais acreditou ser possível: atropelado, próximo da Bracalândia, num dia de Outubro de há sete anos idos. Só então soube que Sebastião Alba não era o seu nome. A última vez que lembro tê-lo visto foi com uma das filhas (alguém me o disse que era uma das suas filhas), algures, num café da "Bracara Augusta".
Talvez um dia a capital do Baixo Minho decida editar a Valiosa Obra do "Poeta que viveu na rua", por opção.



Visitei com agrado "As mãos por dentro do corpo".


Beijinho.

Dizeres de Andarilho disse...

Disse que felizmente tive o prazer de conhecer Sebastião Alba numa das minhas deambulações nocturnas por Braga, o cravar-me um cigarro serviu para conhecer, aquele que foi um dos homens que mais marcas deixou em mim... Inadaptado a esta sociedade, e ás regres que lhe eram impostas, era do meu ponto de vista um verdadeiro anarquista. tive o prazer de conhecer alguns dos fantasmas que o atormentavam, mas com tudo isto um homem delicado e de um conhecimento cultural incalculavel...


a Ele, resta-me dizer-lhe:
um bem haja diz, onde tu estiveres...
a ti um bem haja tambem, e parabens pelo blog...

Carlos Ramos disse...

Obrigado a todos sem excepção. Menção especial Tcchivinguiroe Dizeres de Andarilho. Conhecer o Sebastião Alba deve ter sido um enorme previlégio. Eu infelizmente só o conheço pelas palavras tão verdadeiras e divulgu-o sempre que posso,pois para mim é um dos escritores mais integros que desde sempre aconteceu neste país.