quinta-feira, 5 de junho de 2008

A Cidade Futura


Nicole Wong - "City Shadows Diptyche"

Habitável brancura
A cidade futura
Onde inventamos a raiz de sermos do chão até ás nuvens
Capazes de um precipício onde cabe inteiro o nosso nome
mar onde melhor se escuta o obscuro silencio em que nos refugiámos
cinzas dos dias de lento amanhecer
os trabalhos mínimos dos olhos levantados na crispação do sonho
uma artéria por onde as crianças desaguam na ternura de suas mães
uma colcha para estender o amor por sobre os campos de mágoa
um pássaro de voo incandescente desperta a febre
num corpo frágil arrancado ao turbilhão do sonho
agora as mãos aproximam-se do rosto ávido de espelhos
um navio flutua na imensidão da noite
estamos sós
nas águas profundas que fazem de mim uma cintilação
e de ti uma faca para esculpir um segredo na leve poeira astral
nome para cortar a escuridão do mundo
e dar o olhar subtilmente azul
à palavra liberdade.

4 comentários:

JRL disse...

um nome para cortar a escuridão do mundo é por certo um nome tocado pelo divino.

delusions disse...

estamos sós
nas águas profundas que fazem de mim uma cintilação
e de ti uma faca para esculpir um segredo na leve poeira astral
nome para cortar a escuridão do mundo
e dar o olhar subtilmente azul
à palavra liberdade.



sem palavras...



bjs*
Sofia

Auréola Branca disse...

Imensa solidão! Descreveu muito bem o que seremos no futuro.

"Apagaram tudo, pintaram tudo de cinza..."(Marisa Monte)

Temo pelas cores da esperança no futuro. Elas estão tão encardidas!

Abraços...

TCHI de Tchivinguiro disse...

A cidade da acalmia existe em projecto de almas como a tua.

Beijinhos.