segunda-feira, 3 de novembro de 2008

A Tua Boca



"Two Callas" - Imogem Cunningham

Escrevo para o vento
contra o odioso silêncio
os seus bichos milenares
e o vazio que ganha contornos de branca loucura
uma sanguessuga obscura e profunda
dentro das imagens incendiadas
onde recordo o rosto que nunca conheci
as pessoas solares afastaram-se de mim
as minhas feridas brilham
como vibrantes libélulas
por cima das águas estremecidas pela insónia
deixei de as lamber
porque sou um soldado com uma só dor original
erguida da fundura do meu nome
algo que não podes curar com o teu sexo
e o teu cheiro de laranjeira marinha
que se passa aqui?
devo carregar a noite nos ombros e nos olhos
devo ser fiel aos meus sentidos e sentir
abandonar e abandonar-me
ressuscitar morrendo
por dentro da Casa da beleza
I N U T I L
N
U
T
I
L
Esta cabeça fonética com caixas de musica
luzes precariamente equilibradas na linha do horizonte
venenos acessíveis a poucos
este mundo ligado ás artérias das madrugadas
aos compassos do poema que abre e fecha a paixão
as flores internas
acendem esta boca repentina de astros
estas mãos torrenciais de azul
esta pele levantada para que vejas a carne combustível
sobre o amplexo perfeito do sonho
um trompete arrancada à raiz da lua
transbordantes desastres pressentidos
na fluidez fotográfica dos corpos
este quarto cheio de ignorância de mim próprio
este coração que bate para trás
devora a memória que diz o gelo
de todas as noites em que não te encontrei
de todos os dias em que passas
e me deixas à chuva ardendo por uma palavra
não quero saber de mim
já não me importo
não tenho medo do eclipse
que alastra pelos dedos alucinados
sobe à cabeça esgotada pelo silencio
o nervo da solidão agreste pensa
essa mulher de pedra esmagada contra a eternidade
sinto a voz que minha Mãe me deu
ténue vaga
aparição
longínqua espuma movimentando-se
na pálpebra que fecha
a luz que me habitava
antes de me precipitar
que se passa?
não estou triste
não tenho ambições
guardo as coisas que importam
debaixo da língua
um lugar para a tua boca devorar
quando quiser.

36 comentários:

AnaMar disse...

Acompanho a viagem das palavras em explosão de sentidos.

... a cada instante ... disse...

Intensidade brutal a cada palavra escrita. Aqui desvendo os segredos de quem sabe realmente viajar por dentro do corpo... continua.

Graça Pires disse...

Um poema magoado de quem diz "porque sou um soldado com uma só dor original
erguida da fundura do meu nome".
Muito belo.
Um abraço.

rosasiventos disse...

( boca a boca )

Ad astra disse...

já li este poema várias vezes e não consigo comentá-lo

é
Esta cabeça fonética com caixas de musica"

que se passa?
não estou triste
não tenho ambições
guardo as coisas que importam

TCHI de Tchivinguiro disse...

com.passos... de umas mãos por dentro do corpo.

Beijinho.

SMA disse...

A boca qua acata todos os sentidos
.
.
.
que espera essa boca?
.
.
cansaço salivar

bjo doce

delusions disse...

devo carregar a noite nos ombros e nos olhos...


...



Bjs*

D. disse...

Gosto de tua Escrita

D.

Vieira Calado disse...

Muito bem!

Gostei bastante deste seu poema.

Um abraço.

~pi disse...

por dentro do dentro de

dentro

tudo se enrola se

pacifica e se re

torna

( aquá t

ico

de

esper ar



~

TCHI de Tchivinguiro disse...

Sim. Guardar o que importa.

Abraço sem longe.

Dalaila disse...

dentro da boca onde tudo se guarda se aprende e se refresca

Carol disse...

Neste momento, tambéu eu carrego a noite nos ombros e nos olhos...

nuvem disse...

Este poema está fantástico.

Graça Pires disse...

Passo só para desejar um Bom Natal.
Um abraço.

SMA disse...

Deixar-te entre bocas
.
.
.
Feliz Natal
.
.
bjo doce

rosasiventos disse...

ámen,

Vieira Calado disse...

Olá, amigo Carlos!

Gostei do seu poema e faço, sobretudo, gosto, em lhe enviar os meus votos de BOM NATAL.

Um abraço

Silent Raven disse...

Um poema poderoso, neste espaço cheio de poesia e de sentimento, lugar que agora descobri e onde, certamente, voltarei. Parabéns por tão excelsa voz...

Ana João disse...

um brinde á poesia!

um bom ano,
impressaodigital

D. disse...

Que o melhor tempo que sua vida seja capaz de lembrar.
Estamnos nos transformando.
Hoje é o começo.

Fraterno abraço

D.

~pi disse...

bom tempo ( todo




abraÇo




~

Maria disse...

Achei que já te tinha comentado... li-o faz tempo...
bom ano para ti.

beijo
(está tudo bem?)

Mel de Carvalho disse...

Não conhecia o seu blog. fiquei por aqui, lendo e relendo. gostei, do conteúdo ao grafismo.
tomo a liberdade de o linkar.

melhores cumprimentos, feliz 2009.
Mel
www.noitedemel.blogs.sapo.pt (poesia)

ou no link da resposta (prosa)

Sophie Gaarder disse...

Foi-lhe atribuído o prémio "Dardos". Para ter acesso ao selo, clique no meu blog.

Com o Prémio Dardos reconhecem-se os valores que cada blogger, emprega ao transmitir valores culturais, éticos, literários, pessoais, etc., que, em suma, demonstram sua criatividade através do pensamento vivo que está e permanece intacto entre suas letras, entre suas palavras. Esses selos foram criados com a intenção de promover a confraternização entre os bloggers, uma forma de demonstrar carinho e reconhecimento por um trabalho que agregue valor à Web.

D. disse...

Você não quer saber?
Eu quero. Vote.

D.

Miguel Barroso disse...

Leio e releio.maravilha.


Abraços d´ASSIMETRIA

DO PERFEITO

Maria disse...

Que é feito de ti?
Saudades de te ler...

Um beijo

Semeando Letras disse...

Mande seus poemas para semeandoletras@hotmail.com para que sejam publicados no blog
www.semeandoletras.blogspot.com e vamos construir um espaço com poemas e poesias de diversos autores, para que todos conheçam seu trabalho. Abraço

CMondim disse...

continua a escrever assim e não há dor q não se cure ;)

Efigênia Coutinho disse...

Carlos Ramos, já falei uma vez, mais tenho certeza, foi pouco, falo a segunda vez"

Você é um mundo dentro de outro mundo chamado "poesia".
Meus cumprimentos
Efigênia Coutinho

Vieira Calado disse...

Apreciei a fluência e a linguagem.

abraço

Auréola Branca disse...

Em momentos de loucura, quisera apenas a boca para palavras. Mas ela é mais feroz e invade corpos e mentes...

Abraços saudosos.

Miguel Barroso disse...

Intenso.

isabel victor disse...

Muito bom ...

(vou passando,sento-me,paro ... reparo ... esse é o prazer )


obrigada

! iv