sexta-feira, 21 de dezembro de 2007

Auto quase retrato


Edward Hopper - "Nighthawks"


A musica que me acolhe ao amanhecer
é a do cheiro luminoso da tua presença
a minha fragilidade escreve-se
na penumbra que anuncia a tua partida
e no terror da ausência infinita
com que o ceifeiro negro nos ameaça a cada dia
a viagem faz-se também aqui
neste sitio onde te recebo
lençol extremo da ternura
que por vezes oculto
amarga vitória de palavras não pronunciadas
eu sou a contradição
e milhares de anos de culpa judaico-cristã
um pecado no lábio mordido pelo beijo
um silencio que espera o anjo
que nunca conheci
porque não sei o nome
que todos os dias digo incorrectamente
os amigos que partiram
e deixaram a casa em ruínas
a cidade queimada pela ausência
ascendo agora por sobre a terra
onde a luz nunca se apaga
habito na sombra estrutural
dos arquivos do tempo que nos resta
reconstruo e destruo os minutos
do que dissemos e fizemos
sou a gota que alimenta
a garganta do homem no deserto
o viajante que adormece na tua cama
e nocturno se esconde no teu corpo.

10 comentários:

JRL disse...

Auto-quase... Gostei muito. Beijos.

Maria disse...

Muito bom.....
Beijo, Carlos

Manuela Viola disse...

Gosto!

CMondim disse...

beautiful!

inês miguéis disse...

carlinhos,
tens um mimo no 8ª ed. só lhe darás continuidade se achares por bem fazê-lo. um beijinho e até para o ano. tudo de bom! ;)

Carlos Ramos disse...

A todos os amigos que percorreram comigo este caminho, o meu muito obrigado pela participação neste espaço, que sem a vossa presença nada significaria. A todos um grande 2008.

nuvem disse...

Como sempre, magnífico.

Beijo

Ad astra disse...

Que saudades tinha de ler-te...

Um beijo Carlos

Vieira Calado disse...

Bom Ano de 2008.
Julgo que ainda vou a horas...
Um abraço.

laura disse...

uma das minhas imagens preferidas, decididamente...